Para falar conosco, envie um email para: contato@psicanalitico.com

Acompanhe nossas redes sociais

  • Instagram - Cinza Círculo
  • Facebook - círculo cinza

Dica de filme

A estreita faixa amarela: Filme mexicano de 2015, que mostra de forma magistral a possibilidade que o ser humano tem em conseguir se ressignificar. O que nos remeteu, imediatamente, a possibilidade de final de análise.   Não importa o tempo ou o que precisamos passar 00para conseguir chegar ao ponto de novo significado.  O que importa é que é possível dar um novo sentido.

Dica de série

F IS FOR FAMILY: Pode parecer um pouco diferente, mas sim, estamos indicando uma série de animação da Netflix.  Ambientada na década de 70, esta série mostra a dificuldade de relacionamento de uma típica família convencional americana, na qual não conseguimos verificar muita diferença em relação aos dias de hoje.  Uma mãe arrependida por ter engravidado cedo demais, um pai que não faz seu papel de pai por não ter tido um, filhos perdidos e negligenciados e muita solidão em uma casa cheia de gente.  Novidade?  

Dica de livro

O SINTOMA E A CLÍNICA PSICANALÍTICA: O CURÁVEL E O QUE NÃO TEM CURA - escrito por Maria Cristina Ocariz, o livro é simplesmente imperdível para os interessados pelo tema.  A autora desenvolve nas quase 200 páginas de forma brilhantemente didática conceitos importantes como os limites da atuação do psicanalista, a cura e a própria estrutura psíquica do sujeito para a psicanálise.  Fica muito clara a forma como a psicanálise se diferencia do mercado da cura e respeita os limites do possível.

Dica de filme

Candelária: O longa estilo drama/comédia que encanta por trazer para a telona o redespertar para a vida de um casal dividindo as agruras de tempos difíceis econômica e politicamente, quando mal se tinha o que comer. Vivendo extremadas limitações financeiras, em uma vida sem cor, sem expectativa de dias melhores, Candelária encontra uma câmera na lavanderia onde trabalha e leva pra casa. A partir daí, Candelária e o marido Vitor Hugo, eles se mostram, se desnudam, se reencontram sexualmente como enamorados. No auge da chamada terceira idade, Candelária e Vitor Hugo vivem o amor.